Um viveiro de plantas é essencial na vida de um paisagista. Nele, podemos acompanhar o desenvolvimento das espécies, suas peculiaridades de cultivo e garantir a qualidade das mudas plantadas em seus projetos. Mas mais que uma necessidade, meu viveiro é meu hobby e minha grande paixão.


Muitas espécies estão saindo do período de dormência e requerem alguns cuidados para que fiquem ainda mais vistosas nos meses que estão por vir. Muitas espécies perdem sua folhagem para enfrentar o inverno, mas algumas ainda continuam com as folhas e estas devem passar por uma limpeza onde devem ser removidas ramagens com má formação e folhas amareladas e secas.


Existem mais de 40 mil espécies catalogadas e registradas, isso sem considerar as híbridas que ultrapassam milhares. Dentre esta vasta gama, temos diversas espécies muito rústicas e de fácil cultivo e outras que exigem um conhecimento mais específico. Temos espécies de todos os tipos, desde as que podem ser cultivadas fixadas em troncos, que se enquadram no grupo de plantas epífitas.


Foi com muita alegria que fui comunicado pela empresa organizadora do Prêmio Americas Property Awards que o projeto que desenvolvi para o empreendimento Residencial Haras Patente foi um dos vencedores. Na hora eu não sabia qual era a categoria que o meu projeto tinha vencido, só descobriria na hora da premiação.


Os jardins verticais provaram que são mais que uma simples tendência. Com a diminuição dos quintais e o crescimento de busca por apartamentos, essa opção de se ter um pouco de verde pertinho é superválida.


Rafaela Novaes cresceu no orquidário do avô Edgard Novaes, um homem apaixonado pela natureza. Ainda criança, o passeio predileto de Rafaela era visitar obras acompanhada de seu pai, o renomado paisagista Marcelo Novaes – seu grande amigo e professor.


Publicidade

Revista Paisagismo em Fogo © 2021. Todos direitos reservados. Por Go Up Publicidade